O cavalo descontente!

O Cavalo Descontente:

“Era uma vez um cavalo que, em pleno inverno, desejava o regresso da primavera. De fato, ainda que agora descansasse tranquilamente no estábulo, via-se obrigado a comer palha seca.

– Ah, como sinto saudades de comer a erva fresca que nasce na primavera! – dizia o pobre animal.

A primavera chegou e o cavalo teve sua erva fresca, mas começou a trabalhar bastante porque era época da colheita.

petrede-cavalo-perfil

– Quando chegará o verão? Já estou farto de passar o dia inteiro puxando o arado! – lamentava-se o cavalo.

Chegou o verão, mas o trabalho aumentou e o calor tornou-se muito forte.

– Oh, o outono! Estou ansioso pela chegada do outono! – dizia mais uma vez o cavalo, convencido de que naquela estação terminariam seus males.

Mas no outono teve que carregar lenha para que seu dono estivesse preparado para enfrentar o inverno. E o cavalo não parava de queixar-se e de sofrer.

Quando o inverno chegou novamente, e o cavalo pôde finalmente descansar, compreendeu que tinha sido fantasioso tentar fugir do momento presente e refugiar-se na quimera do futuro. Esta não é a melhor forma de encarar a realidade da vida e do trabalho.

É melhor descobrir o que a vida tem de bom, momento a momento, vivendo o presente da melhor forma possível”.

Stress, ansiedade, preocupações, medo e pânico têm sua origem na mente. Começam como pensamentos que crescem em força e afetam seu comportamento, suas ações e seus hábitos. O ato de pensar é como um filtro – uma tela ou lente – através do qual se vê o mundo de uma forma particular, que nem sempre retrata a realidade. O objetivo é estar mais consciente destes filtros e usar certas técnicas para controlar a mente e pensamentos negativos. Não há razão para viver à mercê de pensamentos negativos e sentimentos de dúvida, que geram ansiedades, preocupações e medos.”

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *